Mário Ozny Rosa, Brasil QEPD

 

HOME

       
       
     
         
       

Recordando a Mario Ozny Rosa

 
         
   

Poesía

O Poder do Deserto

Ynso – Poeta Itinerante

Do Chile aquele deserto
Onde o verde ignora.
Um solo pouco esperto
Aguardando sua hora.

A semente resistente
Dorme naquele chão.
Nem a seca resente
Momento de sua ação.

Com a chuva tudo crescer
Na solidão a espera.
O deserto vai florescer
A chuva em nova era.

O dia que começa chover
Cresce aquela plantinha.
O verde se volta a ver
Surge a verde folhinha.

A semente no deserto
Depois de anos dormindo.
Volta ter vida e concreto
Torna o deserto mais lindo.

Esta terra benção de Deus
O homem que a rejeita.
Tudo que Ser Supremo deu
Sempre é mal aceita.

 

Mil Poemas a César Vallejo

CÉSAR VALLEJO

MOR

Arcou o seu tempo
Na luta de cada dia.
Vendo o povo no relento
Por todo que sofria.

Foi embora de sua terra
De tudo que aprendeu.
Longe de qualquer guerra
Nunca se arrependeu.

Defendia a pobreza
A ter boa educação.
Era a sua nobreza
Dava a maior atenção.

Te os dias atuais
Seu grito de alerta.
Com todos os seus ais
Só o amor desperta.

 

Mil Poemas a Miguel Hernández

MIGUEL HERNÁNDEZ

MOR

No mundo que ele viveu
A busca de maior saber.
Nunca se esmoreceu
Só a justiça a querer.

Do seu tempo de criança
Na labuta campesina.
Da história a lembrança
Deu-lhe a maior estima.

Sempre foi um lutador
Seus temas importantes.
Como um escritor
Discutidos há todos instantes.

Da vida de pequeno pastor
Impressionado pela leitura.
Durante o seu labor
Marcaram a sua cultura.

           
                       
     

Por Sebastiâo Luis Alves

 

Mario nasceu em Ituporanga - SC, aos 23 dias do mês de maio de 1934, filho de João Rosa e Elizabeth Fontanine da Rosa. Estudou na Escola Isolada Dona Luiza, pós no Grupo Escolar Santo Antônio de Ituporanga. Contrai matrimônio com Joanna Margarida Rosa, são agraciados com os filhos: Áurea Aparecida Rosa, Helena Teresinha Rosa Voltolini, João Raimundo Rosa, Luiz Carlos Rosa e José Ângelo Rosa.
Mario Osni Rosa juntamente com seu amigo Arcelino França, que também trabalhava com eletricidade em 1967, utilizando-se de um televisor GE de propriedade de Luiz Fernandes de Souza, com outros equipamentos necessários, escolhe o “Morro do Sampaio”, à margem da estrada de rodagem via Caçador (Atual SC 120), ambos se instalam para suas pesquisas.
Uma vez instalados, o televisor passa a receber sons e sombras das estações televisoras da República da Venezuela e de Recife, capital de Pernambuco, concluindo as possibilidades de uma recepção perfeita.
Posteriormente, Roque Pellizzaro completa esta iniciativa, instalando uma pequena torre no cocuruto de um morro no terreno de propriedade de seu sogro Faustino José da Costa, confrontante com área do patrimônio municipal.
Isto ocorre no inverno de 1968. Com um pequeno gerador movido à gasolina, para fornecer energia suficiente para acender as lâmpadas do televisor Telefunken de fabricação alemã, consegue captar as primeiras imagens e sons da estação de televisão gaúcha “Piratini”, auxiliados por técnicos de Curitiba - PR.
Sendo possível com esta experiência inicial, instalar duas torres retransmissoras, do Canal 6 de Curitiba e Canal 3 de Blumenau. Importante ressaltar que prestou os seus serviços técnicos por vários anos para Rádio Coroado AM. Sendo homenageado no programa de Juvenal Bráulio Bacelar na comemoração do centenário de Curitibanos em 1973, ficando registrado nos anais do Museu Histórico Antônio Granemann de Souza.
Mario reinicia os seus estudos aos 45 anos, completa o supletivo colegial e ginasial em 1980. Forma-se em Ciências Contábeis pela Uniplac Campus de Curitibanos em 1983. Ingressa em 1984 na UFSC de Florianópolis no curso de direito tributário, formando-se em 1989.
Exerce a função de Técnico em Telecomunicações no Ministério das Comunicações 1984/1989, também acumula a função de pesquisador e contador na Advocacia Geral da União em Florianópolis 1984/2004. Membro da Sociedade dos Advogados Poetas de Santa Catarina, Academia de Letras do Brasil (Florianópolis), participante ativo nas Redes Internacionais de poesias, possui vários poemas publicados em Antologias mundiais de Escritores. Mario Osni Rosa falece em 07 de fevereiro de/2013, deixa grande legado histórico nas telecomunicações, como profissional em advocacia e na cultura Catarinense.

                       

Biografía

BIOGRAFIA DO AUTOR

Mário Osny Rosa nasceu em Don Luiza Município de Ituporanga, Santa Catarina em 1934.

Concluiu o 3° ano primário na Escola Isolada Dona Luiza e o 4° ano no Grupo Escolar Santo Antônio em Ituporanga no ano de 1945. Até 1970 foi autodidata e estudou sozinho curso eletrônico por correspondência. De 1970 a 1979 completou o Antigo Ginásio e o segundo grau no Supletivo. E prestou vestibular para a Faculdade de Ciências Contábeis da Fundação Educacional do Planalto Catarinense [FEPLAC] de Curitibanos, hoje Universidade do Contestado, concluindo em 1983, o Curso de Contador.

Em 1984 prestou vestibular para Direito na Universidade Federal de Santa Catarina. Iniciou em agosto de 1984 colando grau em dezembro de 1989, especializando-se em Direito Tributário.

Atuou na função de Técnico em Telecomunicações no Ministério das Comunicações de 1984 até maio 1998.

De maio de 1998 a 2004, atuou como pesquisador e contador na Advocacia Geral da União em, escreve em vário site na internet, é Acadêmico da Academia de letras do Brasil cadeira nº 21 em Florianópolis/SC.